Atendimento Online

A orientação psicológica online está regulamentada pelo Conselho Federal de Psicologia (CFP) desde 2012. Nesta época os atendimentos não presenciais estavam ainda sendo avaliados em sua eficácia e não haviam muitos estudos certificando sua segurança, apesar da crescente demanda.

Desde esta época venho realizando atendimentos por via eletrônica. Sempre levei em conta alguns aspectos para a avaliação da pertinência deste tipo de atendimento. Por exemplo, se a pessoa que está me buscando tem possibilidade de atendimento presencial com profissional qualificado, recomendo que opte por este tipo de ajuda. No entanto, percebo uma série de indicações para o atendimento online:

  • Pessoa impossibilitada de locomoção (p.ex. fraturas, internação);
  • Mães que não conseguem estar em atendimento presencial pelos cuidados com a criança;
  • Transtornos mentais que incapacitam a pessoa de sair de casa no momento (p.ex. Síndrome do Pânico, Transtorno de Ansiedade Generalizada);
  • Cidades pequenas em que a pessoa fica insegura quanto ao sigilo dos profissionais a que tem acesso;
  • Locais onde não há profissional especializado como a pessoa necessita no momento;
  • Quando a pessoa mora fora do Brasil e prefere um acompanhamento na língua materna;
  • Quando já existe um vínculo com o profissional e a distância impossibilita a continuidade do acompanhamento presencial (mudança de bairro/cidade/país).

Nestes 6 anos atendi todas estas possibilidades e estes acompanhamentos mostraram-se bastante frutíferos, conseguindo obter o resultado esperado. Quando possível, eram alternadas entre as sessões online e presencial. Em outros casos não conheci os pacientes pessoalmente.

Atualmente já existem diversos estudos comprovando a eficácia do tratamento online. Um deles, realizado pelo Dr. Wagner Gattaz – diretor do IPq (Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da USP), comparou o atendimento online e presencial de pacientes com depressão (em quadro estável). Após um ano, os resultados eram semelhantes, porém, a frequências de pacientes que abandonaram o tratamento foi maior no atendimento presencial.

Por fim, é importante ressaltar que este não é um atendimento com BAIXO CUSTO, pois é realizado com a mesma qualidade do atendimento presencial, demandando o mesmo cuidado e qualificação profissional.

 

Comments are closed